VEREADOR MAURO IGNÁCIO SUGERE A CRIAÇÃO DE DISPOSITIVO DE IDENTIFICAÇÃO DOS CIDADÃOS IMUNIZADOS EM CURITIBA

A exemplo de Israel e Nova Iorque, o objetivo é acelerar a reabertura de espaços coletivos e garantir a retomada da economia.

Israel tem a maior taxa de vacinação per capita do mundo. O país já imunizou quase 60% da população. Por conta dos bons resultados, o governo israelense lançou em fevereiro o “tav yarok”, um selo vacinal que comprova que a pessoa recebeu as duas doses da vacina contra a Covid-19, há pelo menos uma semana.

No mês passado, o estado de Nova Iorque, nos Estados Unidos, iniciou os testes do programa “Excelsior Pass”, nas versões física e digital, com o mesmo intuito de Israel: acelerar a reabertura de espaços coletivos e garantir a retomada da economia.

“Curitiba sempre foi destaque no cenário tecnológico mundial e nesse momento não pode ficar de fora da criação de ferramentas que facilitem a retomada segura à vida normal”, é o que acredita o vereador Mauro Ignácio, que protocolou na Câmara Municipal de Curitiba uma sugestão para a criação do “Selo Verde”, seguindo o exemplo de Israel e Nova Iorque.

Mauro Ignácio entende que Curitiba possui condições de desenvolver essa ferramenta. Na justificativa da sugestão, ele cita a utilização do Vale do Pinhão para o incentivo à criação desse dispositivo, que poderá auxiliar a permissão do ingresso de pessoas imunizadas em estabelecimentos de entretenimentos, setor mais atingido pela pandemia da Covid-19. “É uma medida que deve ser avaliada e aplicada no plano de recuperação pós-Covid em nossa Curitiba”, afirmou.