VIADUTO DO ORLEANS É VISTORIADO

Com o objetivo de fazer um trabalho preventivo e evitar a ocorrência de tragédias, bem como sugerir possíveis melhorias no sistema viário, a Comissão Especial de Avaliação de Pontes e Viadutos da Câmara Municipal de Curitiba, acompanhados de técnicos do Instituto de Engenharia do Paraná (IEP) e do Instituto Tecnológico de Transportes e Infraestrutura (ITTI), vinculado à Universidade Federal do Paraná (UFPR), vistoriaram o Viaduto do Orleans, que passa por cima da BR 277 e liga os bairros São Braz, CIC e Campo Comprido.

De acordo com o presidente da comissão, vereador Mauro Ignácio, foram encontradas algumas rachaduras na superfície e um pouco de corrosão na parte de baixo, “nada grave, mas que ainda assim inspira cuidado”.

A cidade cresceu muito nos últimos anos, assim como o fluxo de veículos nesta região, e uma alternativa para o trânsito seria a duplicação do viaduto. Há seis anos trabalhamos nesse sentido e enquanto comissão estivemos no DER discutindo o assunto. Há um estudo do Ippuc concluído, mas falta a validação da empresa concessionária da BR 277 para que possamos, num prazo de um ou dois anos, ter essa obra em andamento.

Mauro Ignácio

Na opinião do engenheiro Mauro Lacerda, coordenador do ITTI, o que foi possível avaliar é uma maior necessidade de manutenção e conservação, principalmente nos chamados elementos secundários, não no viadutos em si. “Por exemplo, veja as áreas de acesso, que já estão sendo solapadas pelo tráfego, o que significa que, aos poucos, você vai ter o risco do próprio talude, antes do viaduto, sofrer algum tipo de colapso. Além disso, não existem elementos de drenagem suficientes, há tendência de empossamento da água e perda da direção dos veículos”.

Lacerda alertou ainda que os guarda corpos estão em condições precárias. “Claro que isso não vai causar a queda do viaduto, mas eles podem cair na pista de baixo e causar um acidente grave”. Com a constatação de que pessoas em situação de rua estão morando na parte interna do viaduto, o engenheiro sugeriu que a “abertura de inspeção” seja fechada com uma grade ou tampa, para evitar a entrada de qualquer pessoa não autorizada no local.

Outros viadutos

Com o apoio do IEP e do ITTI, os vereadores também inspecionaram mais três viadutos – Colorado e os que fazem a ligação dos contornos Sul e Norte, além de uma ponte de madeira, no parque Tingui. Os encaminhamentos serão enviados à Prefeitura de Curitiba, ao Departamento de Estradas de Rodagens do Paraná (DER-PR) e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), dentre outros órgãos.

No viaduto Colorado, cuja obra foi considerada “boa”, conforme a inspeção externa, é sugerida a troca das juntas de dilatação. Já os viadutos de ligação dos contornos Norte e Sul, que não têm um nome específico, apresentam boas condições de conservação, exceto nas juntas de dilatação, onde é possível avistar as infiltrações. Nesses pontos, há a proliferação de fungos, necessitando de uma manutenção preventiva. Outro encaminhamento é a revitalização do local, para uso como área de lazer, pois é recorrente a ocupação por moradias irregulares. Também há o uso de fogueiras, mais precisamente na área onde o viaduto encontra a rodovia.